informe o texto

Notícias Cidades

70% dos pacientes que precisam de cirurgias eletivas não são localizados

70% dos pacientes que precisam de cirurgias eletivas não são localizados

Ponto da Notícia MT

25/05/2022 - 10:31

70% dos pacientes que precisam de cirurgias eletivas não são localizados

Foto: Davi Valle

Desde que o lançamento do programa MT Mais Cirurgias, que retomou as cirurgias eletivas após a redução dos casos de covid-19 em Mato Grosso, dos 11.500 procedimentos cirúrgicos que seriam realizados em Cuiabá, apenas 30% dos pacientes foram localizados pela Central de Regulação. Essas pessoas estão na fila de espera de 2015 até junho de 2021.
 
Dentre os problemas para encontrar os pacientes são telefone e endereço desatualizados no sistema. Por isso, a coordenação da Central de Regulação desenvolveu um novo mecanismo para diminuir a fila de cirurgias eletivas em Cuiabá. A novidade é utilizar as equipes das unidades básicas de saúde para fazer a busca ativa dos pacientes nas respectivas áreas de abrangência.
 
Durante a transmissão ao vivo de terça-feira (24), o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, contou sobre a ação da Central de Regulação. A unidade está capacitando os profissionais das unidades, para que eles entendam como funciona o Sistema Nacional de Regulação (SISREG) e para que possam tirar as pessoas que não forem encontradas ou que já não precisem do procedimento.
 
“Há anos vemos as filas intermináveis para diversos procedimentos na Central de Regulação e com a pandemia essa fila aumentou mais ainda. Este mecanismo que nossas equipes desenvolveram de fazer a busca ativa dos pacientes utilizando as unidades de saúde vai nos mostrar de forma mais célere quem realmente ainda precisa da cirurgia. Estamos trabalhando com muita seriedade e responsabilidade para conseguirmos oferecer uma saúde de qualidade e de maneira célere para nossa população”, finalizou o gestor.
 
Os coordenadores de unidades ficarão responsáveis por localizar os pacientes de sua área de abrangência e, caso não localizem ou caso a pessoa não precise mais fazer a cirurgia, o coordenador poderá tirar da fila.
 
Se o paciente não for localizado após 3 tentativas sucessivas, a solicitação dele pode ser cancelada e ele retirado da fila. Dessa maneira será dada a oportunidade para aqueles que estão na fila aguardando, seguindo a ordem cronológica.
 






Fonte:Leiagora
 
Sitevip Internet